Cuidados com o sistema dutoviário terrestre

No Brasil, existem milhares de quilômetros de dutos, sendo que o transporte de petróleo, óleo combustível, gasolina, diesel, álcool, GLP, querosene, nafta e outros são realizados por oleodutos, enquanto o transporte de gás natural é realizado por gasodutos.

 
O sistema de transporte dutoviário terrestre é classificado em: aéreos, aparentes e subterrâneos. Estes últimos serão o nosso objeto tema, pois encontram-se enterrados sob a faixa de domínio de dutos, visando obter proteção contra fenômenos atmosféricos, acidentes que podem ser provocados devido à passagem de máquinas e outros tipos de veículos sobre a dutovia, escavações irregulares e até contra o vandalismo e curiosidade da população.

 

2

 

Por já termos registros de algumas ocorrências graves como o incêndio da Vila Socó (Cubatão/SP – 1984), o vazamento de GLP (Barueri/SP – 2001) ocorrido durante perfuração de duto em escavação, e os ocorridos em 2000 quando tivemos vazamentos na Baía de Guanabara e no estado do Paraná com grande efeito sobre o meio ambiente, achamos pertinente passarmos algumas orientações básicas que devem ser seguidas e que têm o propósito de educar e informar à população sobre o cuidado e a convivência com as faixas de domínio de dutos.

Recomendações de segurança no sistema dutoviário subterrâneo:

– Não fazer qualquer tipo de construção sobre a faixa de dutos;
– Não fazer queimadas sobre a faixa de dutos;
– Não trafegar com máquinas, veículos e equipamentos sobre a faixa de dutos;
– Não jogar lixo, resíduos ou entulhos na faixa de dutos;
– Não realizar escavações, usar arados e/ou outros implementos agrícolas sem prévia autorização da empresa;
– Não remover o solo da faixa de dutos, podendo deixar desta forma o duto exposto;
– Não usar explosivos para remoção e/ou desmonte de rochas;
– Não plantar culturas de médio e grande porte ou realizar outras plantações e/ou benfeitorias sobre a faixa de dutos sem autorização.

 

Fonte: Marco Aurélio Rocha, especialista em Saúde e Segurança do Trabalho e em Gestão de Emergências e Desastres, pós-graduado em Toxicologia, mestrando em Prevenção de Riscos.

Revista Emergência

Compartilhe: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit Email

Deixe uma resposta

Você pode usar as tags:: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>